Entenda como o laser de baixa potência pode ser aplicado à fonoaudiologia

A laserterapia é indicada para uma série de tratamentos. Ela pode ser usada isoladamente ou como coadjuvante em diversos processos, favorecendo o reparo tecidual, a redução da dor, a drenagem de edemas, resolução de inflamações, dentre outros.

Na Fonoaudiologia, o laser de baixa potência pode ser um grande aliado em diversas áreas de atuação, sobretudo relacionadas à motricidade orofacial, à disfagia e à voz.

Mas você sabe exatamente como essa técnica funciona? Já se perguntou quais são os seus benefícios e como ela pode ajudar os seus pacientes? Então, este artigo foi escrito para você!

Confira abaixo o que é o laser de baixa potência, quais são os seus principais benefícios e como ele pode ser usado na Fonoaudiologia.

O que é a laserterapia?

O laser, assim como a luz comum, é um tipo de radiação eletromagnética e, ao ser irradiado sobre o tecido humano, desencadeia uma série de reações fotoquímicas benéficas para o organismo num processo denominado fotobiomodulação.

O laser se diferencia da luz branca por apresentar um comprimento de onda único, sendo  monocromático, enquanto que a luz branca é a somatória de todos os comprimentos de onda visíveis ao olho humano. Ele é também denominado coerente, pois seus fótons apresentam o mesmo comportamento no tempo e no espaço e é colimado, ou seja, possui um alto grau de paralelismo em seus feixes, o que permite um longo alcance da luz e uma maior penetração nos tecidos comparada a outras fontes de luz.

Na área da saúde, o laser pode ser classificado como de alta ou baixa potência. O laser de alta potência é de uso médico e odontológico e podem gerar danos programados ao tecido sendo, portanto, utilizados para fins cirúrgicos.

Já o laser de baixa potência, que é o foco deste artigo, apresenta menor intensidade. Por essa razão, fornece ao organismo energia suficiente para promover mudanças bioquímicas no meio intracelular, como aumento da produçãode ATP e ativação de enzimas antioxidantes, permitindo que o organismo retome sua homeostase e seu bom funcionamento.

Quais são as vantagens do laser de baixa potência?

O laser de baixa potência, como mencionei acima, tem a propriedade de irradiar a energia da luz em um ponto específico, em potência reduzida. Essa irradiação provoca efeitos fotofísicos, fotoquímicos e fotomecânicos nas células dos tecidos tratados. Exatamente por isso, ele pode estimular o processo de cicatrização e regeneração natural do organismo humano.

Ainda sobre o laser de baixa potência, cabe ressaltar que o número de sessões de laserterapia é variável. A quantidade vai depender do tipo de enfermidade tratada ou do estímulo que se pretende produzir.

Como usá-lo nos tratamentos fonoaudiológicos?

Há uma série de tratamentos fonoaudiológicos que podem ser beneficiados com a laserterapia, principalmente em relação à motricidade orofacial, à disfagia e à voz.

Seus benefícios no treino muscular potencializam a terapia miofuncional e a mioterapia, acelerando o ganho de força, reduzindo os níveis de fadiga e melhorando o desempenho dos músculos durante a execução de diversas funções. Dessa forma, torna-se um ótimo recurso para ser explorado nas áreas de motricidade orofacial, estética, ronco, disfagia, e também na assistência em voz clínica e/ou profissional.

Na disfagia, no entanto, seu uso vai muito além do treino muscular! O laser é bastante utilizado para a modulação do fluxo salivar, tanto em pacientes com xerostomia que se beneficiam da normalização da saliva quanto em casos neurológicos nos quais o objetivo é a redução do volume de saliva.

Além disso, por ser um excelente aliado nas patologias que envolvem alterações do sistema nervoso, sobretudo periférico, contribui para melhora da sensibilidade intraoral em pacientes com atraso no disparo do ato motor da deglutição. O contrário também é possível, sendo utilizado para inibição em casos de hipersensibilidade, como nos reflexos patológicos, que muitas vezes atrapalham a estimulação fonoaudiológica, a introdução de utensílios ou a higienização oral, por exemplo.

Outras aplicações mais difundidas, como nas paralisias faciais, parestesias e dores neuropáticas também são um grande campo para utilização da laserterapia em Fonoaudiologia.

A terapia com laser de baixa potência, ainda pouco conhecida no Brasil, é uma alternativa moderna para tratamentos em várias áreas da Medicina. Você viu que, na fonoaudiologia, muitos tratamentos são beneficiados pelo laser.

Se você se interessou pela aplicação do laser de baixa potência, aprofunde ainda mais sobre o assunto e saiba como a laserterapia pode ajudar no tratamento da paralisia facial!

Guia Introdutório:

A Laserterapia aplicada à Fonoaudiologia

Baixe grátis

Recommended Posts